sobre este livro

Este livro se apoia em uma série de viagens conduzida entre 2011 e 2012, por Fabien Eychenne sob o apoio da instituição francesa Fing, em vários Fab Labs do mundo, cuja finalidade foi a de entender melhor, ir mais longe, encontrar os atores que criaram e continuam dando vida aos Fab Labs, chegar mais próximo dos usuários que os frequentam e desenhar uma tipologia.

O livro tem interesse por descobrir verdadeiramente estes espaços, descrever as especificidades, os problemas; tentando assim desenhar um retrato fiel dos diferentes encontros realizados durante as visitas experimentais. Ao interrogar a comunidade criativa e a equipe que trabalha nestes Fab Labs, o objetivo foi sempre o de relatar o funcionamento do dia-a-dia, observar os usos, práticas, projetos e compreender os modelos econômicos emergentes.

A reedição brasileira traz consigo esta pesquisa realizada, adicionando a experiência vivencial do primeiro ano da rede no Brasil. Através do olhar de Heloisa Neves, o texto francês ganha uma cor brasileira, e contornos do que pode vir a ser a rede no país.

Sobre a organização do livro, pode-se dizer que uma primeira parte, mais descritiva, deseja mostrar o Fab Lab na sua totalidade, descrevendo o que exatamente é esta rede, os diferentes modelos, o processo de criação de um Fab Lab, os projetos e a sua estrutura educacional. Esta descrição tenta sempre manter a relação com os princípios gerais do ecossistema em que os laboratórios estão inseridos. Em seguida, ele se aprofunda nas oportunidades que os Fab Labs oferecem, em que paradigmas e mudanças eles se encaixam, especialmente sobre a perspectiva da inovação.